Intolerância à lactose secundária

0

A intolerância à lactose é muito comum na população em geral. No Brasil, cerca de 2 milhões de pessoas podem apresentar quadros do problema por ano. Ele não tem cura, mas alguns tratamentos podem ajudar na qualidade de vida de quem precisa viver com isso.

De maneira geral, a intolerância à lactose é a incapacidade de digerir esse açúcar presente em produtos lácteos (derivados do leite), desencadeando diversos sintomas incômodos dentro do organismo. Existem três tipos de intolerância: a primária, a secundária e a congênita.

Intolerância à lactose

Essa intolerância acontece pela falta da lactase no corpo, uma enzima presente no intestino delgado que é responsável pela quebra das moléculas de lactose e fazerem o corpo absorvê-las de forma natural. É a partir da ingestão de alimentos como leite e derivados que o problema aparece

Intolerância à lactose secundária
Intolerância à Lactose Secundária. Imagem:divulgação

A primária é aquela resultante do envelhecimento do próprio organismo e é mais comum em pessoas idosas. Isso porque, com o tempo, o corpo tende a diminuir a quantidade de lactase produzida. Já a congênita é quando a pessoa já nasce com o problema, passado de geração para geração, e é apresentado desde o nascimento.

Intolerância à lactose secundária

Já a intolerância à lactose secundária é uma condição temporária. Ela acontece por conta de alguma lesão ou doença, como a celíaca e a gastroenterite, por exemplo, que desencadeia o problema. Com isso, o intestino deixa de produzir a lactase por um período de tempo.

Acesse e saiba mais informações: Onde comprar produtos sem glúten e sem lactose

Intolerância à lactose secundária sintomas

Quem possui intolerância à lactose secundária, pode ficar exposto a alguns tipos de sintomas que são comuns em todos os graus do problema. Entre eles, estão as dores localizadas no abdômen como cólicas bem fortes nesta área do corpo.

Intolerância à lactose secundária
Intolerância à lactose secundária. Imagem:divulgação

Na região gastrointestinal, é comum o aparecimento de arroto com frequência, cólica, gordura nas fezes, náusea, flatulência em excesso, indigestão e inchaço. A diarreia também se encaixa entre os principais sintomas da intolerância e, muitas vezes, é o primeiro sinal que o corpo dá quando ele não está conseguindo digerir o alimento derivado do leite que foi consumido recentemente. Vale sempre ficar atento, uma vez que o problema acaba sendo diagnosticado pela própria pessoa.

Acesse e saiba mais informações: Quais os Sintomas da Intolerância a Lactose ?

Intolerância à lactose secundária tratamento

Não existe nenhum milagre ou cura. Se você está passando por uma intolerância à lactose secundária, ela passará quando tratar a doença ou ferimento que estão levando seu corpo a rejeitar o açúcar. Porém, enquanto estiver com o problema, a principal forma de tratá-lo é evitando produtos com lactose em sua composição. Entre eles estão o leite, queijos, iogurtes, sorvetes e outros alimentos à base de leite.

Depois, também é possível fazer o uso de medicamentos para suprir a falta da lactose. O suplemento alimentar pode funcionar tanto isoladamente quanto combinado com outros tratamentos que devem ser escolhidos por você e seu médico.

Intolerância à lactose secundária
Intolerância à lactose secundária. Imagem:divulgação

E se você, ou alguém de sua família, estiverem com os sintomas, os médicos recomendados para ajudá-los são o gastroenterologista, o nutricionista, o clínico geral e até mesmo o pediatra, no caso da intolerância estar presente em crianças. A intolerância à lactose secundária é um problema de fácil diagnóstico e temporário. Porém, é muito importante estar sempre atento aos sintomas, principalmente se eles acontecem logo depois de consumir um alimento rico em lactose.

Se tiver alguma dúvida, anote em um papel tudo o que está se sentindo e marque uma consulta o quanto antes. As dores podem até assustar um pouco, mas é fácil de descobrir o que está se passando em seu corpo e até mesmo de tratar. Procure sempre um médico e não tome nenhum medicamento antes de consultá-lo.

Recomendados para você:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here